O ATLETA DA SUPERAÇÃO E O VIVA LA VIDA

Para os atletas e apaixonados pelo esporte, a expressão maior desta atividade culmina com a realização dos jogos olímpicos, acontecimento reconhecido como o maior evento do planeta. Capaz de reunir milhares de atletas, de centenas de países, de todos os continentes, que apesar de falarem línguas diferentes, e confessarem credos religiosos e convicções sócio-políticas variadas, estes desportistas se unem fisicamente pelo espírito olímpico, com um único objetivo, a superação de seus limites físicos e emocionais na busca do sentimento de realização do cumprimento de uma prova, a até sua própria vitória sobre o demais.

Este evento esportivo se destaca também diante dos demais por sua capacidade única e exclusiva de concentrar a atenção de milhões de pessoas de todos os cantos do mundo em busca de entretenimento, emoção pela torcida de seu favorito, mas sobretudo pelo despertar do sentimento pacífico de patriotismo.

Em meio a toda esta movimentação, acontece na sequência, o Jogos Paralímpicos, praticados por atletas deficientes físicos. Este evento, pouco divulgado talvez pelo desinteresse financeiro da mídia, faz com que as pessoas percam a grande oportunidade de contemplar, o que eu diria sem nenhuma dúvida, ser um evento muito mais grandioso por ter nele, verdadeiros atletas do esporte, e da vida.

As práticas esportivas de um modo geral, nos fazem lembrar muito o Luciano, mas os Jogos Paralímpicos em especial, resgata em nós o que ele tinha de mais forte, o espírito de determinação e superação. 

Um evento desta natureza além de nos despertar a emoção por presenciar a garra, determinação e esforço de pessoas tão fisicamente prejudicadas praticando uma atividade esportiva de alto rendimento, nos força também refletir sobre a comodidade que muitas vezes nos impede de buscar a conquista de um objetivo mínimo. Uma das principais características de um atleta deficiente físico, é a de que mesmo atrelado a uma cadeira de rodas, prótese, ou qualquer limitação que lhe impeça um movimento ou esforço físico,  e rejeitando ao mesmo tempo o sentimento paternalista e de piedade da sociedade, eles demonstram ser capazes inclusive de superar a capacidade das pessoas normais. 

Luciano foi uma pessoa assim, mesmo diante de tanta opressão causada pelos cânceres, consequências dos tratamentos, e mutilações, as quais lhes impuseram limitações físicas, ele, movido pelo espírito de superação e vontade de mostrar às outras pessoas que mesmo em detrimento a tudo, podia se equiparar, e até superar as pessoas normais, escolheu dentre outras atividades, o esporte, que no caso foi ao extremo, optando assim pelo triathlon. E por todos os cantos onde participava de alguma prova, fosse pelo Brasil afora, ou em algum outro país, sempre buscou honrar, o fato de que toda a garra e determinação, combustível de sua vontade, era fruto da vontade de Deus.

Enfim, tudo nos faz lembrar a vida do Luciano... recentemente fomos a um concerto do Coldplay, e lá ouvimos "Viva La Vida", tanto sua melodia, quanto letra, nos emocionoram muito. De volta ao Brasil, e culminando com o início das provas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres, as imagens assistidas, nos fizeram também lembrar de sua experiência de vida, reforçando nossa opinião de que as pessoas ditas como fisicamente eficientes tem muito que aprender com a realidade vivida pelos deficientes físicos... para tanto basta observar o resultado final da performance dos atletas paralímpicos brasileiros, sobre os olímpicos (fisicamente normais)...você verá a diferença (medalhas). Este misto de lembranças, nos fez criar um clipe com um retrospecto da experiência do Luciano como triatleta harmonizado por Viva La Vida, que deve ser assistida com a tela cheia, e o som em alto volume.



Viva La Vida
- Coldplay -
...
....
Oh, oh, oooh, oh, oh, oh(5x)


Hear Jerusalem bells are ringing

Roman Cavalry choirs are singing

Be my mirror, my sword and shield

My missionaries in a foreign field

For some reason I can't explain
I know Saint Peter won't call my name
Never an honest word
But that was when I ruled the world