DOAÇÃO DE SANGUE, UMA VERDADEIRA OFERTA DE AMOR

É logo na primeira batida do coração fora do ventre materno que selamos com a vida o que nos é instintivamente imposto como o início de nossa luta pela sobrevivência e busca pela independência. E na prática, serão as escolhas que faremos no decorrer da vida que determinarão nosso futuro. Entretanto, acaso ou não, no decorrer desta trajetória, surgem situações que podem fugir de nossa vontade e controle próprio, fazendo-nos reféns e dependentes de uma frágil linha, chamada “vida”, pela qual teremos de lutar a todo custo.  As enfermidades que temos de enfrentar são exemplos de situações nas quais somos muitas vezes impelidos a refletir e reconhecer que nossa sobrevivência está atada à dependência, contrariando nosso sentimento de autonomia. 

A história de vida do Luciano já estava escrita, daí a razão, creio Deus ter me ensinado a viver desde criança como sempre vivi, porque soubemos a ele ensinar viver com dignidade 15 de seus 23 anos vividos nesta situação de dependência - Dirige os meus passos nos teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem. Salmos 17:5.  Entretanto, em seus dois últimos anos de vida junto de nós, vivemos ao seu lado uma experiência única e muito profunda, sobre a qual ainda temos refletidos, que foi viver sob uma dependência incondicional e direta de outras pessoas para mantê-lo vivo, e mais especificamente do sangue de um desconhecido.  Mas naquele momento Deus nos respondeu através de sua palavra em Levítico 17:11: “Pois a vida da carne está no sangue, e eu o dei a vocês para fazerem propiciação por si mesmos no altar; é o sangue que faz propiciação pela vida.” (propiciação = sacrifício). E assim passamos a entender que o ato do derramamento de sangue de uma pessoa por outra, que até então não passava para nós ser algo simbólico, ou da atitude Divina de Jesus por nós, passou a ser algo verdadeiramente palpável, além de nos mostrar a verdadeira expressão de amor ao próximo, porque na grande maioria das vezes este foi praticado deliberadamente por pessoas que nem mesmo as conhecíamos.

Outra situação com a qual tivemos a oportunidade de conviver não foi com estas tão faladas correntes ou redes de oração, do bem, do pensamento, de energia, de luz, mas sim com uma verdadeira corrente do amor e do bem ao próximo, e que não está dentro de uma rede de internet, nem livro, nem tão de campanhas sócio-religiosas, mas sim distribuída por todos os cantos do mundo, e muito perto de cada um de nós, ... a qual são os bancos de doadores de sangue e medula óssea. Vimos nestas pessoas doadoras como sendo os verdadeiros anjos de Deus, os quais colocam a prova nossa dependência ao próximo, assim como todos os conceitos de indistinção de cor, raça, e condição social, ...  através da determinante demonstração de amor pelo ato da doação de parte de seu corpo em benefício ao próximo.

Estivemos juntinhos do Luciano, 90 dias dentro de um quarto de hospital, nos Estados Unidos, e outros 90 aqui no Brasil, respirando o  mesmo ar, buscando pensar seus pensamentos, chorar as mesmas lágrimas, sorrir o mesmo motivo, louvar a Deus pelas mesmas graças, além disso só Deus conhecia o que passava dentro dele. Sua força e determinação em viver extrapolavam o entendimento de muitas pessoas, e isto fazia com que seu físico combatesse o mal da doença, e assim pudesse esperar a cura através da benevolência da doação de uma pessoa, contudo, sabíamos que a incerteza quanto ao seu futuro lhe causava angústia, levando-o às vezes ao cansaço, mas nunca desanimo.  O que mais nos doía era sentir que por mais que tentávamos a todo custo absorver um pouco de sua ansiedade, e o ajudar com seu fardo, sabíamos que aquela dor e sofrimento era uma carga que somente ele poderia carregar, e ai nossos sentimentos de pais se frustravam. Buscamos não sofrer com o que passou, porque sabemos que ele agora está na "glória", e ai nos alegramos, apesar da falta que ele nos faz. 

Luciano nos deixou muitos ensinamentos, assim, tentamos imaginar e entender o que ele pensava e sentia sobre toda aquela situação, e como a enfrentou com tanta bravura. Recentemente, mexendo nos seus guardados descobrimos em seus arquivos um vídeo o qual ele intitulou como “um dos clipes mais lindo que já vi”,  acredito que este vídeo não passar de uma ficção, mas serve para refletirmos e buscar entender o que se passa dentro de uma pessoa que vive um momento destes, de total dependência e luta pela sobrevivência.


Em todo este tempo não conseguimos mensurar quantos litros de sangue e plaquetas que Luciano recebera, contudo somos capazes de agradecer a Deus pelo vigor, esperança, e bem-estar  trazido em cada gota de sangue oferecida como uma verdadeira oferta de amor por um irmão que muitas vezes nem mesmo conhecíamos.  

Por final, gostaria de fazer um chamamento, e conclamar você, como um soldado, para uma grande luta que ao contrário de ceifar, iremos salvar vidas. Porque um herói não precisa lançar mão de arma, caneta, nem mesmo de palavras, para mudar o destino de uma pessoa, basta uma simples atitude. E neste momento, exercer a maior expressão de amor, não é dar a vida por alguém, basta doar um pedacinho de si.  Entendam que você é uma verdadeira fonte capaz de jorrar vida e esperança a outras.  Doe sangue, salve uma vida, porque sangue é vida.

Que Deus continue abençoando a todos e tenham um feliz natal!

Para se tornar um doador de medula óssea, clique no link a seguir e verifique o endereço mais próximo http://www.abrale.org.br/como_ajudar/doacao_medula/index.php  No caso de doação de sangue, procure um banco de sangue mais próximo, entretanto em Goiânia, tenho o maior prazer em indicar o Honcord como sendo minha referência particular,  http://www.honcord.com.br/